GShow: O que é Testamento Vital? ‘Conversa com Bial’ explica e discute como a justiça brasileira lida com o documento

Publicado em: 16/03/2022
O caso de Anita Harley: Cristine Rodrigues, assessora e amiga da maior acionista das Casas Pernambucanas, e seu advogado, José Eduardo Cardozo, participaram do programa para debater o assunto; confira!
 
Você já ouviu falar em Testamento Vital? Esse foi o tema do Conversa com Bial , que recebeu Cristine Rodrigues, assessora e amiga de Anita Louise Regina Harley, maior acionista e ex-presidente da rede varejista Casas Pernambucanas, que está em coma há cinco anos, ao lado de seu advogado, José Eduardo Cardozo, ex-ministro da Justiça.

Na entrevista, Cristine conta à Bial sobre o porquê de Anita decidir preparar o Testamento Vital e os detalhes do processo que ainda corre para fazê-lo valer. Outra participante é Fabiola Murta, técnica de tecnologia da informação, que passou por experiência semelhante.
 
Clique aqui e assista a trechos do programa!

O caso de Anita Harley
 
Com a palavra, Cristine Rodrigues:
 
“Eu conheci Anita há mais de 50 anos. […] Efetivamente, desde 1990, todos os cuidados pessoais eram de minha responsabilidade, sempre estive ao lado dela. Em 1999, ela totalmente lúcida — ela estava com 52 anos — é advogada e resolveu fazer esse documento. A preocupação dela era justamente o que aconteceu. Ela não gostaria que ninguém a visse nesse estado, que ela fosse preservada.”
 
O que é o Testamento Vital?
 
Explica-se: o Testamento Vital é uma espécie de procuração que assegura decisões pessoais sobre a própria vida em situações nas quais não é possível fazê-las, como em casos de pessoas que sofrem algum tipo de doença ou acidente, e são mantidas vivas por aparelhos. O documento antecipa o desejo da pessoa em permanecer numa situação similar ou não, mas no Brasil não há garantias de que isso será respeitado, já que outros motivos são colocados à frente.
 
O advogado José Eduardo Cardozo, ex-Ministro da Justiça, dá mais detalhes.
 
O que aconteceu e como a família reagiu parte 01.
 
O que aconteceu e como a família reagiu parte 02.
 
Quem também passou por situação semelhante foi Fabíola Murta, quando o marido, que era médico, foi diagnosticado com uma doença incurável e decidiu deixar um documento — o Testamento Vital — para que suas vontades fossem atendidas.
 
“Sabendo do prognóstico da doença dele, que era uma doença incurável, ele tinha claro que, se não manifestasse a vontade dele, ele poderia não ser atendido e passaria por tratamentos que iriam contra o conceito de dignidade humana dele.”
 
Veja o depoimento de Fabíola Murta.
 
A economista e rabina Elca Rubinstein, por exemplo, tem tanto receio de seu Testamento Vital não ser respeitado, que entrou na Justiça para ele ter poder de lei. Ela já ganhou em 2ª instância.
 
Veja o depoimento de Elca Rubinstein.
 
Está na mesma situação? Os entrevistados dão conselhos.
 

Fonte: GShow